terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Guepardo de 630g é Atração em Berçário de Zoo

   Kiburi, um guepardo que nasceu dia 10/11/2010, no Zoológico de San Diego, EUA, abriu os olhos pela primeira vez no dia 25.O filhote despertou, tomou leite com auxílio de uma mamadeira e logo voltou a dormir.Os visitantes podem conhecer o neném, de apenas 630g no berçário do parque.
   Makena, mãe de Kiburi, deu à luz dois filhotes, mas um deles morreu logo após o parto, e ela começou a demonstrar sinais de que abandonaria o que sobreviveu.Segundo os tratadores do coológico, é comum que as fêmeas dessa espécie abandonem o filho único, porque há uma grande mortalidade entre os bebês guepardos e gastar energia para criar um único animal não as interessa.
   Os guepardos, conhecidos também como Chitas, têm dificuldade para a reprodução em cativeiro, por isso onascimento foi comemorado, ainda mais porque estão em risco de extinção no mundo.Os habitats naturais desse felino são a África Central e a Índia, ele consegue atingir velocidades de 115 a 120 km/h, sendo considerado o mais rápido entre os animais terrestres.Pode ter de 1,5 a 2m da cabeça à cauda e pesar cerca de 60 kg.




Fonte: San Diego Zoo

Pah :)

Camaleão do Tamanho de Uma Unha Humana é Encontrado em Madagascar

   Madagascar é o país com a maior diversidade de fauna e flora de todo o planeta, abrigando milhares de espécies de pássaros, répteis e anfíbios, muito deles endêmicos.Exemplo desta variedade exclusiva é a descoberta do fotógrafo inglês Will Burrard Lucas, de 27 anos.
   Visitando o parque “Amber Mountain”, ele conseguiu fotografar um camaleão do tamanho de uma unha humana.Segundo o jornal Daily Mail, a espécie é chamada de Brookesia minima e possui a mesma capacidade de camuflagem que os outros camaleões, escondendo-se facilmente na paisagem.
   Outra característica que não agrada os insetos que estão no cardápio preferido do pequeno, é a eficiência e o tamanho de sua língua, que chega a medir o mesmo tamanho do corpo inteiro do bichinho!

Fonte: Daily Mail

Pah :)

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Negligência

Oi galera!
Olhem só o que o vento aprontou com a mamãe Pata....a natureza é assim mesmo né?
Mas ainda acho que o cara que estava filmando poderia SIM ter ajudado..ele é um visitante de um Parque Ecológico situado no Canadá.
Enquanto a mãezinha passeava com seus filhotes, uma forte rajada de vento os levou separando o grupo.
Ainda bem que tudo deu certo no final...
rs

beijo!
video

Pah :)

Artista Faz Desenho Gigante em Geleira Como Protesto

   Um desenho gigante de um urso polar foi pintado com um corante vermelho pelo artista Bjargey Olafsdottir, na geleira Langjokull, na Islândia.Com a Instalação, o artista tenta chamar a atenção para diminuição das geleiras e o futuro incerto enfrentado pelos ursos polares e outros animais dependentes deste habitat, que dia a dia está cada vez mais destruindo-se...




Fonte: O Globo

Pah :)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Bióloga Que Teve Perna Arrancada Por Jacaré Volta à Amazônia!

Fazia tempo que queria fazer post!
Mais uma ídola para minha coleção...Deise Nishimura!


O Orgulho:

   Menos de um ano após ter a perna arrancada por um jacaré na Amazônia, a bióloga paulista Deise Nishimura, 25 anos, volta nesta segunda-feira para o local onde foi atacada. Ela vai retomar sua pesquisa com botos cor-de-rosa da região.

O Caso:

   Em 30 de dezembro, quando limpava peixe na varanda da casa flutuante onde morava, em uma reserva florestal isolada no Alto Amazonas, foi atacada por um gigantesco jacaré-açu.
   A região tem uma dos maiores populações desses répteis do Brasil, com cerca de 90 animais por habitante. O jacaré-açu, que é o maior predador da América do Sul e pode chegar a seis metros de comprimento, pulou cerca de um metro para alcançá-la. O bicho a levou para o fundo do rio --com aproximadamente três metros de profundidade-- e arrancou sua perna.
   Deise só conseguiu escapar porque se lembrou de um documentário que havia visto na televisão.
   "Eles falavam que a parte mais sensível do tubarão era o nariz. Eu imaginei que também fosse assim com o jacaré. Então, quando e encontrei duas aberturas na cabeça dele, que eu não sei se eram os olhos ou o nariz, apertei com toda força", diz.
   Já refeita do susto, ela fala em tom de brincadeira: "Foi com tanta força que eu até quebrei minha unha."
   Depois de se livrar do animal, a bióloga conseguiu se arrastar com dificuldade até o deque onde ancoravam os barcos e gritou por socorro durante alguns minutos. Em vão. Ninguém estava por perto.
   "Quando eu percebi que a água estava muito vermelha por causa do sangue, imaginei que poderia atrair mais jacarés. Tinha de sair dali."
   Ela precisou se arrastar mais até a casa e pedir socorro por rádio. Cerca de 15 minutos depois, dois guias de uma pousada local apareceram para socorrê-la.
   "Até aquele momento, graças à adrenalina, não estava sentindo dor. Só começou a doer mesmo quando eu já estava no barco, já a caminho do hospital."

O Fim do Jacaré:

   O jacaré que atacou a pesquisadora era conhecido no rio. Deise já havia tirado algumas fotos do animal, que costumava dormir bem embaixo da casa flutuante.
   Ao ficarem sabendo do ataque, moradores de uma comunidade ribeirinha da região mataram o animal e recuperaram a perna da cientista. Mas, pelo tipo de lesão e pelo tempo passado desde o ataque, os médicos decidiram não a reimplantar.

O Final Feliz:

    Apesar do trauma, Deise fala com tranquilidade, normalmente sorrindo, sobre o episódio.   
   "Ainda estou aprendendo a fazer as coisas, realmente me adaptando à nova realidade. Às vezes não é fácil, mas eu não quero que sintam pena de mim. Quero ser um exemplo de superação", diz a cientista.
   No fim de semana, ela foi ovacionada ao contar sua história em uma das palestras do TEDx Amazônia, um evento que reuniu mais de 400 pessoas e 50 palestrantes em Manaus.
   Foi a primeira vez que a bióloga retornou à Amazônia desde o incidente.
   Nessa segunda-feira, ela volta para o local do ataque, onde ficará mais um mês trabalhando com o monitoramento de botos cor-de-rosa.
   Ela tem planos de voltar definitivamente para a reserva onde foi atacada.
   "Os meses que eu passei na Amazônia foram os melhores da minha vida. Eu estava muito feliz. Quero muito voltar a viver na natureza."
   Ela não descarta a possibilidade de também começar a estudar jacarés. "Eu com certeza não recusaria a oportunidade de estudar esse animal tão interessante."

Fonte: Folha

Pah :)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Cento e Oitenta Mil Filhotes de Tartaruga São Soltos em Rio no Amazonas

   Um maravilhoso ato feito pelo “Projeto Quelônios da Amazônia”, em Itamarati (AM), a 980 km de Manaus, foi a soltura de 180 mil filhotes de tartaruga-da-amazônia (Podocnemis expansa).Moradores da cidade ajudaram a tirar os animais das piscinas plásticas usadas como berçário e devolvê-las às águas do Rio Juruá, afluente do Amazonas.

   Os ovos são colocados em “tabuleiros”(bancos de areia, que aparecem na época de vazante do rio) a partir de agosto, por cerca de duas mil tartarugas adultas.Quando os ovos se quebram, voluntários levam os filhotes para os berçários, para que possam se fortalecer durante 30 dias e perder o cheiro de recém-nascidos, que atrai os predadores.

   Já crescidos as tartarugas são devolvidas ao rio, segundo informações da prefeitura do município, parceira do Ibama no programa de proteção aos Quelônios.



Fonte: Globo Amazônia

Pah :)

Hipopótamo Fêmea Ajuda Dois Filhotes em Perigo

A caridade!
   Um Hipopótamo fêmea chamou a atenção ao ajudar dois filhotes, um Gnu e uma Zebra, a atravessar um Rio na Reserva Nacional Masai Mara, no Quênia, depois que eles se perderam do restante de seus grupos.
   Os dois resgates ocorreram em um intervalo de 10 minutos. A cena foi fotografada e filmada por uma equipe liderada por Michael Yule. Eles estavam registrando a travessia da manada de Gnus quando a hipopótamo ajudou a salvar os dois filhotes em perigo!



Fonte: África Geographic

Pah :)

"Está chegando a hora!"

 
   Não vamos permitir que isto aconteça mais.
   Está chegando a hora, a hora de lutarmos por um bem comum, de não mais pensarmos em nossos próprios umbigos, quando nosso grito se unir, venceremos!
  Venceremos o grito da serra elétrica, mas não um só gritando, e sim todos, quando todos tiverem em seus corações a certeza de que não gritamos só por nós, mas sim por todos da natureza!
   Quando pudermos sentir que de nossa garganta grita o gorila , de nossos olhos expande a visão do falcão, de nossa força transborda a onça, de nossa determinação sustenta o tamanduá, e em então assim temos dentro de nós todos, todos irmãos, todos um só.
  Como a água que esfarela a rocha, demos-nos as mãos e salvemos a todos. Pois o crocodilo não pode ir a uma delegacia dar queixa de invasão domiciliar, a Jacarandá não pode dar queixa de homicídio em massa, mas nós sim, nós somos o canal que transmitirá seus apelos, e sentiremos em nossos corações seus agradecimentos.
   Não será facil, mas mais difícil é para eles que esperam, esperam que alguém acorde e vá salva-los.
   Lembre-se um zoológico é um lugar bonito, assim como um hotel, mas nada melhor do que o nosso LAR."

Autor: Daniel Belém

Pah :)